Testemunho de Luciano

Agradeço primeiramente a Deus e segundo as Déboras pela corrente de oração que foi feita pela vida do meu sobrinho Luciano Abrantes, que ficou treze dias desaparecido. Foram dias de muita angustia e desespero para toda família, principalmente para a mãe dele. Pedi oração nos grupos das Déboras, e todas se uniram num só proposito, num só objetivo. Provei verdadeiramente da unidade do corpo de Cristo ao “clamar a Deus para que Luciano aparecesse, para que Deus o trouxesse de volta de onde ele estivesse e fosse cuidado pelos anjos do Senhor”. Pedimos que alguém segurasse em sua mão e o trouxesse de volta para casa.

Deus realmente escutou o nosso clamor. No décimo terceiro dia do desaparecimento, uma noite de chuva, debaixo do viaduto na Av. Caxangá em Recife-PE, Luciano foi encontrado por um homem que cremos foi “enviado por Deus”. O homem se chama Sérgio Antônio e após passar por três vezes no mesmo local, viu sempre aquele rapaz encolhido por causa da chuva. Chovia torrencialmente naquele dia em Recife, e eram exatamente 20hs.

O Senhor tocou no coração do Sr. Sérgio dizendo para ele que aquele rapaz era seu servo e estava com fome, sede e frio, e ordenou para que o mesmo o ajudasse, e aquela situação o inquietou.

Ao chegar em casa narrou para a esposa o que presenciou e como tinha sido incomodado depois de passar por três vezes consecutivas pelo mesmo lugar. Disse também:  “aquele rapaz” está com fome e Deus tocou no meu coração que ele precisa ser ajudado e eu vou voltar lá”. Pediu a esposa que preparasse um lanche e ela preparou três sanduiches, uma garrafinha de suco e outra com água e entregou para ele levar.

Chegando lá o Sr. Sérgio perguntou o nome dele e de onde ele era. O rapaz respondeu que se chamava Luciano Abrantes, morava em João Pessoa, era casado e tinha dois filhos, e que a esposa o havia abandonado dois meses atrás na casa de sua mãe chamada Socorro Abrantes. Disse também que tinha ido passear em Recife e o dinheiro acabou, e não tendo como voltar para casa, passou a pedir ajuda, dormir nas ruas, mas o que conseguia só dava para comer.  Há dois dias não pedia mais porque estava muito sujo e tinha vergonha de chegar perto das pessoas por causa do mau cheiro.

Luciano é uma pessoa que precisa tomar remédios controlados, no entanto, “Deus não deixou que ele ficasse desorientado, mesmo sem tomar a medicação”. Ele sabia quem era e de onde tinha vindo. Esse anjo, o Sr. Sérgio, lhe deu o lanche e mais uma vezDeus lhe inquietou para não deixar Luciano naquele lugar, por se tratar de um local muito perigoso à noite. Como havia um hospital ali perto se dirigiu até lá e pediu ao vigia para que este deixasse o rapaz passar ali aquela noite, pois era mais seguro. O vigia deixou, foi mais uma ação de Deus.

No dia seguinte, logo cedo, o Sr. Sérgio levou roupas e barbeador para Luciano tomar um banho, pois ele estava muito sujo. Depois, deu café e foi com ele na rodoviária comprar a passagem para ele voltar à João Pessoa. Não conseguiu, pois a empresa não vende passagem com xerox de documento, e era só o que Luciano tinha. Acreditem, diante disso, o homem comprou também uma passagem para ele, conseguindo assim comprar a de Luciano e veio deixa-lo em casa sã e salvo. O mais incrível, Luciano soube dizer direitinho onde morava.

Nesse momento, minha irmã, a mãe de Luciano, já estava sem forças de não conseguir comer e nem dormir direito todos esses dias do desaparecimento, estava sem saber mais o que fazer. Por orientação minha, se arrumou para retornar na delegacia de homicídio e cobrar do delegado as buscas por Luciano. Quando estava saindo de casa sentiu-se mal, sentiu um pouco de tontura, então esperou até melhorar para sair. Providência divina!

Gente querida, “Deus nunca atrasa”, Ele sempre chega na hora certa. Nesse momento a campainha tocou e quando ela abriu a porta se deparou com Luciano e um homem. Foi um momento de muita alegria. A pessoa simplesmente disse que tinha vindo trazer Luciano porque viu que ele era uma boa pessoa, percebeu que ele estava passando por uma situação de risco e Deus inquietou o seu coração para deixa-lo em casa. Dai comprou a passagem dele e de Luciano e o estava entregando.

O que posso dizer disso tudo? Que Deus existe, ele é real, cuida dos seus e escuta o clamor dos aflitos e necessitados.

O interessante é que na noite que Luciano foi resgatado por esse homem, eramexatamente 20hs.  Nessa mesma hora, a sua mãe estava na varada do seu quarto fazendo um clamor a Deus. Dizia que naquele momento não sabia onde o filho se encontrava, talvez estivesse com fome e frio. Chovia também em João Pessoa. Ela pediu que Deus colocasse um anjo naquele momento ao seu lado para cuidar dele e que também abençoasse as outras pessoas que estavam na mesma situação que seu filho, dando-lhes de comer e beber, e um lugar para que se amparassem. Acreditem, naquele momento Deus ouvia o clamor de uma mãe!

Quando o Sr. Sérgio Antônio trouxe Luciano, disse a sua mãe que foi exatamente às 20hs, a hora em que ele chegou até Luciano debaixo do viaduto para resgatá-lo.

O clamor de uma mãe comove o coração de Deus. Obrigada meu Deus por todos os teus benefícios.

 

Remédios Gonçalves

Tia de Luciano