Jesus e sua imprevisibilidade

JESUS E SUA IMPREVISIBILIDADE

                  Somos seres acostumados com padronizações. Depois da revolução industrial, o homem iludido com a produção em série, acreditou que os processos que envolvem a vida de cada ser humano podem ser padronizados. Todos somos obrigados a agir e reagir diante da vida da mesma forma. Porém, na prática isso não funciona assim!

Incrível como Jesus, já há muito tempo, contraria essa ideia. No NT encontramos semelhanças na forma de Jesus agir na vida de uma pessoa, mas nunca podemos dizer que ele foi previsível. Na verdade, segundo o Osmar  Ludovico, isso é o que faz Deus ser Deus, sua imprevisibilidade.

Sempre gosto de citar o texto quando os discípulos estão em desespero no meio do mar, e Jesus surpreendentemente, vem caminhando sobre as águas. Quem poderia imaginar isso? Noutro texto, antes de curar um cego, Ele faz lodo com cuspe e passa nos olhos do rapaz. Noutro, Jesus chega até a passar cuspe na língua do homem. Como vemos, é impossível afirmar COMO Jesus vai fazer algo em nossas vidas.

Esse mistério torna a nossa relação com Ele mais bela e mais imprevisível ao mesmo tempo; bela porque sempre seremos pegos de surpresa e ficaremos fascinados, como os discípulos que perguntam depois de Jesus acalmar o mar e o vento: “quem é esse que até os ventos e o mar lhe obedecem?”. E imprevisível porque sempre estaremos esperando que Ele faça na forma que parece mais lógica para nós. Não tem nada mais incomodo para nós do que não sabermos como as “coisas da vida” vão ser resolvidas. Logo nós que somos tão acostumados a controlar nossa vida. É mais ou menos o que Jesus disse a Pedro quando o chama novamente para o ministério: “quando você era mais novo andava por onde queria e fazia o que queria. Mas quando for mais velho outros o conduzirão”.

Na verdade, se formos honestos o bastante admitiremos que algumas formas de Jesus agir são muito estranhas, como: cuspir no olho, na língua, andar sobre águas, saindo virtude dele, etc… mas é exatamente nessa hora que podemos perceber até que ponto somos discípulos ou não. Porque se foi assim com esse pessoal não vai ser diferente conosco, e isso gera algumas perguntas: será que estou disposto a fazer o que Jesus está pedindo? Estou disposto a me submeter ao que Jesus está querendo fazer? Imagina se Jesus chega pra você e diz que alguém tem que “cuspir nos seus olhos”? Algumas reflexões:

Até onde você está disposto a ir pra que Deus faça o que tem que ser feito em sua vida? Talvez você esteja se perguntando se de fato é Jesus quem está agindo na sua vida dessa forma tão “estranha”. Pois bem, no Novo Testamento ele sempre agiu de forma inesperada e “estranha”.  Será que estamos mesmo dispostos a obedecer qualquer orientação de Jesus em nossas vidas, por mais estranha que seja?

Há quem diga que Deus escreve certo por linhas tortas. Na verdade Deus escreve certo, porem as linhas não são tortas, pelo menos para Ele não. Nós é que não temos capacidade de perceber que, independente da Sua “escrita” em nossas vidas, ele sabe o que está fazendo e qual caminho deve tomar. O profeta escreveu que os pensamentos de Deus e os seus caminhos são mais altos que os nossos. Sendo assim, deixemos Deus ser Deus! Deixemos que Ele escreva o que é certo e da forma certa, por mais estranha que seja para nós.

Isso nos leva a uma segunda reflexão: como homem, precisamos entender que o maior exemplo de liderança que podemos passar para nossa família bem como no trabalho, é a submissão à liderança de Jesus. Ele é O líder por excelência! Quando nos submetemos a liderança d’Ele e ao seu modo de agir, lideramos de acordo com a Palavra, por mais imprevisível que seja as formas do Mestre de Agir.

Precisamos de muito discernimento e fé para que possamos caminhar com a imprevisibilidade de Jesus. “O vento sopra aonde quer, não sabemos de onde vem e nem para onde vai”.

Humberto Queiroz